Sob pressão de outras categorias, Bolsonaro é aconselhado a rever reajuste de policiais

Marcos Corrêa / PR

Marcos Corrêa / PR

Em meio à press√£o de outras categorias e amea√ßas de greve, o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem sido aconselhado por quadros do Ministério da Economia a rever o reajuste salarial prometido aos policiais no fim de 2021.

De acordo com informa√ß√Ķes do blog de Andréia Sadi, no G1, o ministro Paulo Guedes tem dito a pol√≠ticos bolsonaristas favor√°veis ao aumento como gesto à categoria, que o momento n√£o é oportuno para dar reajuste a qualquer classe.

Segundo a publica√ß√£o, ministros do Supremo Federal (STF), t√™m conversado com integrantes do governo e alertado que o reajuste espec√≠fico deve ser judicializado. Eles dizem ainda que diante das incertezas na economia e o avan√ßo da variante Ômicron "n√£o faz sentido" discutir aumento para servidor p√ļblico em momento de crise.

L√≠der do governo na C√Ęmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR) afirmou que desde o fim do ano passado vem alertando que o melhor seria n√£o dar reajuste para ninguém, j√° que a "confus√£o era esperada". Ele, no entanto, admitiu que a decis√£o pol√≠tica foi do presidente Jair Bolsonaro e disse que agora o governo busca uma solu√ß√£o para o impasse. "N√£o estou me opondo ao reajuste, eu sempre disse que achava melhor n√£o dar reajuste a ninguém. Mas a decis√£o pol√≠tica foi tomada e agora o governo est√° discutindo qual a melhor solu√ß√£o", disse ele ao blog.

Bolsonaro determinou que Paulo Guedes centralizasse o reajuste na categoria dos policiais para fortalecer sua base de apoio para as elei√ß√Ķes de 2022. Segundo Sadi, as indefini√ß√Ķes e o clima acirrado, porém, t√™m gerado rea√ß√Ķes por parte de integrantes da Pol√≠cia Federal, que j√° avisaram ao ministro da Justi√ßa, Anderson Torres, que haver√° desgaste de Bolsonaro, caso ele recue da promessa.